Home »

Sindhotéis defende nova revisão da definição de casos de Covid-19

Sindhotéis defende nova revisão da definição de casos de Covid-19

A Prefeitura mudou a definição de casos de Covid-19. Pessoas com síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave com perda de olfato ou paladar aguda, sem causa anterior, serão automaticamente classificadas como casos confirmados. O Sindhotéis entende a medida como necessária para a saúde coletiva, mas alerta para os seus desdobramentos.

Repelimos a ideia de não se fazer o exame para o diagnóstico da doença. Ao contrário, o teste deve ser realizado no menor prazo possível. Solicitamos que a medida seja reexaminada com urgência e que sejam realizados os testes em todas as pessoas que apresentem sintomas, de forma consonante ao que preconiza a OMS e o Ministério da Saúde.

Podemos ter, assim, muitas pessoas não infectadas por covid-19 a causar prejuízos incalculáveis para a economia local. Não é justo que as empresas arquem com os custos trabalhistas por dias não trabalhados após o resultado de exames “negativados” ou pela pura e simples falta deles.

Se de um lado precisamos evitar a circulação do vírus e agravamento da doença nos infectados, do outro é preciso ressaltar que os meios de hospedagem e de gastronomia têm feito verdadeiro malabarismo para substituir os funcionários afastados e manter o funcionamento mínimo sem prejudicar o atendimento e sustentabilidade financeira.

Foto: Agência Municipal de Notícias

Facebook
Google+
Twitter

hospedagem

gastronomia

motéis

lazer