Home »

Um selo como incentivo

Um selo como incentivo

O presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneguelli, durante lançamento do ViraVira na última sexta-feira (10): promessa de voltar à Foz do Iguaçu em breve. “O processo está bem adianta aqui em Foz”.

As empresas de Foz do Iguaçu e região que aderirem ao ViraVida – projeto que oferecerá cursos de capacitação e renda de R$ 500 reais por mês para 100 jovens em situação de risco– serão certificadas pelo Sesi (Serviço Social da Indústria) com um selo de responsabilidade social. E os cursos, com duração média de nove meses, devem começar no máximo em 40 dias.

O selo será concedido às empresas que contratarem os jovens de Foz do Iguaçu, que serão formados pelo ViraVida. Cerca de 30 empresas fornecedoras e prestadoras de serviço de Itaipu já foram convidadas a participar do projeto como contratantes destes jovens. Outro foco do projeto é a rede hoteleira de Foz do Iguaçu. Com 159 meios de hospedagem catalogados, o Sindihotéis, sindicato do setor em Foz do Iguaçu, também vai ‘abraçar’ a causa. “Faremos uma ação de esclarecimento com os empresários para que adotem o projeto”, disse o presidente do Sindihotéis, Carlos Silva.

“Este selo será um benefício ao empresário, que terá a responsabilidade social de sua empresa atestada pelo Sesi”, afirmou o presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneguelli. Ele esteve em Foz na sexta-feira (10) para o lançamento do ViraVira, no Refúgio Biológico Bela Vista. O projeto tem apoio de Itaipu.

Na prática, o selo reforça o compromisso das empresas com as questões da infância e da adolescência. Iniciativas semelhantes são adotadas, com sucesso, pela Fundação Abrinq, com o título de Empresa Amiga da Criança, e pela Unicef, com a concessão do selo de município amigo da criança. O selo está em fase de criação, de acordo com Menegelli.

Selos concedidos pela Unicef e Fundação Abrinq servirão de modelo para iniciativa do Sesi do ViraVida.

Etapas
A assinatura de um termo de compromisso entre a Itaipu e o Sesi marcou a primeira etapa da implantação do ViraVida em Foz do Iguaçu. À Itaipu, caberá a mediação com fornecedores e prestadores de serviço para a contratação dos jovens que serão assistidos pelo projeto.

O trabalho será coordenado pelo Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA) de Itaipu, com apoio do Departamento de Compras da Diretoria Financeira. “Faremos um esforço com nossa rede de fornecedores para que contratem esses jovens”, disse o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek.

A segunda etapa é a definição dos jovens que serão atendidos. O levantamento ficará a cargo da Rede Proteger, formada por 30 entidades e organizações de assistência social de Foz do Iguaçu, com ajuda da Secretaria de Estado da Criança e da Juventude.Terão prioridade os jovens vítimas de exploração sexual, com idade entre 16 e 22 anos.

Em seguida, o grupo selecionado será ouvido para a definição dos cursos. O trabalho deve ser concluído em 40 dias, quando os jovens já começam a ser atendidos, prevê o Conselho Nacional do Sesi. “Tudo será feito em parceria com oss jovens, levando em consideração a realidade da nossa região”, disse a coordenadora do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente, Gladis Mirtha Baez.

Em 2009, o Creas (Centro de Referência Especializado da Assistência Social) de Foz do Iguaçu atendeu 317 casos de exploração sexual de crianças e jovens, e 425 denúncias de trabalho infantil.

Pacto
Além do ViraVida, Itaipu aproveitará o contato com a rede de fornecedores e prestadores de serviços para apresentar o pacto corporativo de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Itaipu é uma das 24 empresas signatárias do documento, definido como “Declaração de Compromisso Corporativo no Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes”. A adesão ocorreu no último dia 23, no Rio de Janeiro.

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e o Sest/Senat (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) também participarão do VIraVida em de Foz do Iguaçu. No Paraná, o projeto também está sendo implantado em Curitiba e em Londrina.

(Jornal de Itaipu Eletrônico)

Facebook
Google+
Twitter

HOSPEDAGEM

GASTRONOMIA

MOTÉIS

LAZER